0

Os difíceis 2 anos!


“Ontem ouvi-te a falar com uma amiga sobre como é difícil os 2 anos! 


Fiquei feliz. Pensava que não compreendias, e fiquei muito feliz por saber que percebes o quão difícil é os dois anos. 



Não é à toa que chamam a adolescência dos bebés, porque é mesmo isso. É uma fase de descobertas e de mudanças. 



É a fase em que descubro que afinal também tenho vontade, também tenho direitos, e acredita que é muito difícil para mim tentar controlar a forma como me expresso. E é por isso que há as birras. 



É que agora que eu descobri que posso fazer e mexer em muitas coisas, é quando me proíbem mais de as fazer, e eu não percebo porquê. 



Eu não te quero chatear… Gosto muito mais quando estamos os dois a brincar em sintonia, mas às vezes não percebo mesmo porque é que não podemos brincar com tesouras, ou a atirar água um ao outro… Fizemos isso na praia lembraste?! E tu riste… e eu gosto tanto quando te ris comigo… Não percebo porque é que quando te atirei com a água em casa no outro dia ao jantar, te chateaste comigo… 



Não percebo também porque é que temos que ir para a cama. Estamos tão pouco tempo juntos... Gostava que ficássemos a brincar os dois para sempre, sem nunca ter de dormir. 



Mas acho que isto faz parte da descoberta, ainda estou a tentar descobrir o que é que posso ou não posso fazer, para que fiques sempre a sorrir comigo sem te zangares. 



Fico feliz que percebas o quão difícil são os 2 anos, e tudo aquilo que está a mudar. 



Já queres que eu coma sozinho e sem entornar… Mas às vezes distraio-me e fico a brincar com a comida. Mas temos que comer depressa não é?! Tu estás sempre a dizer para me despachar… 



De repente tenho que ir fazer xixi como tu e o pai, quando até agora podia fazer na fralda que simplesmente tu trocavas… Eu tento mãe, mas às vezes quando estou a brincar não quero parar… e tu depois zangaste comigo. 



E antes quando nos zangávamos, deixavas-me usar a minha xuxinha e o meu boneco. É que sabes, eles são meus amigos, e ajudam-me quando estou triste. Ajudam a que tudo fique bem. Não percebo porque é que agora estás sempre a esconder a minha xuxinha e o meu boneco… 



Ah e mãe, só mais uma coisa… Eu gostava tanto de beber o leitinho quentinho ainda na cama no biberão… Não me obrigues a ir para a mesa beber na caneca… 



Não tenhas pressa que eu cresça… Não dizes sempre às tuas amigas que o tempo passa a correr, então aproveita-o! 



Mas, mãe, só queria dizer que fico muito feliz que percebas como os 2 anos são difíceis para mim. Obrigada pela tua paciência!”


Ass: o teu filho