0

Quando o tudo incluído permite o verdadeiro descanso dos guerreiros



Sempre que penso em férias tremo. Não que não goste de ir de férias, muito pelo contrário, mas com dois filhos pequenos a preparação e as próprias férias podem tornar-se mais cansativas do que ir simplesmente para o trabalho.    

Entre malas para preparar, programas de atividades para entreter os miúdos e listas de compras para confecionar pelo menos uma sopa e qualquer coisa para os lanches e ceia, sobra pouco tempo para equacionarmos sequer a hipótese de darmos um mergulho, dormir uma sesta ou deitar na espreguiçadeira a ler um livro ou a apanhar sol (isto enquanto espreitamos de 5 em 5 segundos para ver o que os miúdos andam a tramar, claro!).   

Resumindo, passamos os dias das férias numa rotina frenética entre o toma o pequeno-almoço - veste a família inteira - vai para a praia - tira a areia - toma um duche - faz e dá a sopa - deita os miúdos para a sesta - organiza as coisas para a tarde na piscina - vigia e brinca com as crianças - mais um duche - mais um jantar - mais 3 birras - e meia-hora para namorar antes dos pais desmaiarem de cansaço. E sem esquecer que há que ir dormir cedo porque a maioria das crianças gosta de madrugar, mesmo nas férias. Ainda não estão bem familiarizadas com o conceito de férias, ou não passassem elas a maioria do ano absorvidas pelas rotinas dos colégios e escolas, e até pelas rotinas que os pais lhes incutem. Mas não podemos deixar de os tentar treinar a apreciar o descanso e o lazer, e até um bocadinho do dormir até mais tarde, pelo menos naqueles dias em que decidimos usar o subsídio de férias, certo?   

Mas como eles não são os únicos a terem de mudar um bocadinho as rotinas, nós também o devemos fazer e a minha sugestão de fuga em família de hoje é precisamente um conceito que estamos mais familiarizados nas viagens para fora do país. Falo do "tudo incluído", como aliás está lá em cima no título deste texto. O "tudo incluído" acaba por estar mais associado a destinos como México, Brasil ou Cabo Verde, mas a verdade é que já começa a fazer sucesso em Portugal e há cada vez mais famílias a gostarem da tendência. Sim, eu também estou “totalmente incluída” neste leque de pessoas.   

Foi em junho que rumámos ao Sul do País com o Hotel Salgados Palm Village por destino. Além de estar localizado no coração do Algarve e perto de algumas das praias mais paradisíacas do nosso país, este resort é pensado para as famílias e o "tudo incluído" é mesmo a modalidade obrigatória. Se estiverem céticos e acharem que vão gastar mais neste conceito do que no conceito do "faz tudo em casa", dou-vos 24H para mudarem de ideias. Mas não é só pela parte da gestão orçamental, é sobretudo pela "paz de espírito" de não ter de cozinhar, lavar loiça, pôr e levantar a mesa, ir às compras, perder tempo nas filas de trânsito ou do supermercado, gastar energia a escolher a praia ou a piscina, e ainda planear programas e atividades que ocupem e animem estes dias.    

10 piscinas, ginásio ao ar livre e animação para todas as idades   

Sim, leram bem, são mesmo 10 piscinas, sendo 4 delas exclusivas para os mais novos -, e nem precisam de ir carregados com toalhas porque estão incluídas e nem sequer com muitos brinquedos, porque a maioria dos visitantes acaba por ir deixando boias, barcos, pás, baldes… que são usados num conceito comunitário. Além das piscinas, há um comboio gratuito que vos leva até à Praia da Galé entre as 9H30 e as 18H30; ginásio ao ar livre, campo de voleibol, mini golfe, três campos de ténis e um de futebol e muita animação desde os primeiros raios de sol até pela noite dentro. Espetáculos de magia e de animais exóticos, escorregas insufláveis, sessões de cinema, dança, Kids Club, mini disco, karaoke e música ao vivo são apenas algumas das opções para entreter miúdos e graúdos e tudo isto sem ter de sair a meio para ir preparar o almoço ou o jantar. Há três espaços de restauração que tratam de todas as refeições, incluindo os lanches da manhã e da tarde e até a ceia. E há alternativas para todos os gostos, desde a típica comida portuguesa até aos pratos grelhados, italianos e vegetarianos. Resumindo: há mais tempo para de facto brincarem com os vossos filhos. Acreditem que por vezes vão ter a sensação de que afinal não é assim tão difícil tomar conta dos miúdos!     

Tudo o que precisa de saber   

Wi-fi em todo o resort, gabinete de enfermagem para os pequenos acidentes, um espaço comercial, vendas de artesanato à beira da piscina ao anoitecer, toalhas próprias, mimos à chegada, garrafas de água sempre disponíveis no frigorífico, animação e refeições prontas e disponíveis durante todo o dia são apenas algumas das ofertas que nos fazem ter vontade de ficar mais tempo, de prolongar as férias, de desfrutar de cada segundo com mais intensidade. Aqui o tudo incluído deixa-nos com a sensação de que viajámos para fora do País, nem que seja por ouvirmos regularmente o inglês ou o espanhol, pelo tempo sempre ou quase sempre ameno – de dia e de noite -, pelo não termos de nos preocupar em inventar programas para os miúdos, e pelo estarmos literalmente num ambiente exótico, com tons quentes, palmeiras no horizonte e um pé quase sempre na piscina. 

Na época alta os preços começam nos 300€ por noite, por alojamento com dois quartos, o que equivale, a uma média a 150€ por adulto/noite. Inicialmente achei que o valor podia ser elevado, mas isso foi só até ter começado a fazer contas aos almoços e jantares que não teria de pagar no restaurante, ao combustível que não precisava para ir à praia ou às compras e até ao tempo que deixaria de estar enfiada na cozinha ou na fila do supermercado. 

O “tudo incluído” pode realmente ser uma tendência para ficar e no caso de quem viaja com miúdos é das poucas soluções para o verdadeiro descanso dos guerreiros – pais e filhos, pois está claro!