0

7 Dicas para viajar de avião com um bebé



Existe uma série de frases inspiradoras na Internet sobre viagens e eu concordo com cada uma delas. Nunca fui uma mulher muito poupada, mas quando o assunto é poupar para viajar a coisa muda de figura. É efectivamente a coisa que mais gosto de fazer. Viajar permite-nos sair da nossa zona de conforto, conhecer culturas diferentes, sítios diferentes, pessoas diferentes, ouvir novas línguas, descobrir novos sabores, abre-nos a mente e prepara-nos para a vida. É algo que deve ser feito sempre que se pode e os filhos não podem ser um entrave. 

Se para uma viagem de uma hora de carro a preocupação não é muita, uma viagem de avião com um bebé pode levar à exaustão física e psicológica de qualquer adulto que o esteja a acompanhar, eu que o diga! 

A Matilde já teve a oportunidade de viajar duas vezes de avião: na primeira tinha 10 meses e na segunda 14. As diferenças que notei da primeira viagem para a segunda são enormes e tudo se deveu a um simples acto: descomplicar. 

Sou uma mãe (e mulher) bastante descomplicada, não tenho verdades absolutas (ninguém tem!) e acredito que temos que nos adaptar face às situações, mas também sou uma mulher compulsivamente organizada e quando viajo tenho sempre listas e mais listas e levo coisas que não interessam a ninguém mas que penso que irão fazer falta, coisa que nunca acontece. 

Hoje partilho com vocês algumas dicas sobre o que aprendi entre uma viagem e outra. 

- Levar água, bolachas, iogurte, fruta, papa e\ou sopa. No aeroporto há várias restrições quanto a alimentos a transportar nos aviões, mas tudo o que seja ligado ao bebé (líquido e sólido) eles deixam passar. 

- 1 manta. A maior parte das companhias aéreas costumam ter mantas disponíveis, mas como (para mim) está sempre um frio de rachar no avião levo sempre uma a mais. De qualquer forma, a Matilde leva a mantinha dela para TODO o lado. 

- Fraldas e muda de roupa, meias, chucha. 

- Dar de mamar\biberon durante a descolagem e aterragem. A sucção ajuda a proteger os ouvidos da pressão, a Matilde nunca teve problemas. 

- Manter o bebé distraído. É muito importante que o bebé esteja distraído. Quanto mais velho é, mais difícil se torna. Para isso, uma boa opção é levar o brinquedo favorito, estar no lugar à janela, descarregar no tablet os desenhos animados que costuma ver, canetas e papel para desenhar. Algo que também fiz foi mudar-lhe a fralda (as casas de banho têm trocador), mesmo que não precisasse, aqueles minutos a passear pelo avião servem de distracção. 

- Tentar ficar com um lugar com mais espaço para as pernas. Para mim, que gosto de ter espaço para me mexer e tenho uma filha que não pára quieta, viajar pela Ryanair foi um autêntico pesadelo. Quando viajar com ela, vou evitar ao máximo essa companhia, mas única e exclusivamente por causa do espaço, de resto não tenho nada a apontar. 

- Usar e abusar da prioridade. Ficam despachados num instante. No check-in, no controlo, na entrada e saída do avião, na arrumação da bagagem de mão e por aí adiante. 

Por fim, dois avisos importantes: 

- Não esquecer todos os documentos do bebé, cartão de cidadão, boletim de vacinas, etc. 

- Não esquecer que as crianças que viajam só com um dos pais precisam de uma declaração por escrito do outro progenitor em como autoriza a viagem do bebé\criança. Resta-me desejar-vos umas boas férias, e que elas sejam descomplicadas ;)