0

Toxoplasmose, que cuidados ter na gravidez

Durante a gravidez a mulher coloca sempre uma série de dúvidas em relação aos cuidados que tem de tomar para não prejudicar a saúde do seu bebé. No entanto, o que mais se destaca é sem dúvida o risco de infeção por toxoplasma e os potenciais perigos do contacto com os gatos. 

A toxoplasmose é uma zoonose (doença transmitida dos animais aos humanos e vice-versa) provocada por um parasita protozoário que se chama Toxoplasma gondii. A forma de transmissão mais comum é através da ingestão de alimentos contaminados com quistos do parasita, sobretudo carne crua e mal cozinhada. Sendo também possível através da ingestão de frutas e legumes mal lavados, consumo de leite não pasteurizado e águas não tratadas. 

O gato é a única espécie conhecida pela eliminação dos ovos do parasita através das fezes. Maioritariamente, os gatos ficam infetados através da ingestão de carne crua quando caçam, especialmente ratos e outros pequenos animais que possam estar infetados, 3 a 21 dias depois da contaminação formam no seu intestino oocistos (ovos do parasita) que são depois expelidos para o ambiente através das suas fezes. Depois deste período de tempo, o sistema imunitário do gato consegue controlar a doença e deixa de eliminar estes oocistos, ficando o gato apenas portador, mas não transmissor da doença. Os oocistos que são libertados nas fezes precisam de pelo menos 24 horas no meio ambiente para se tornarem infetantes. 

Com tudo isto, podemos afirmar que o risco de transmissão de toxoplasmose através de um gato doméstico é mínimo ou até mesmo inexistente. 

Para haver contaminação seria necessário que o gato estivesse infetado e que durante as 3 semanas de eliminação das fezes o seu proprietário as manipulasse com mais de 1 dia, pois as fezes recentes não transmitem a doença a não ser que sejam ingeridas. 

As mordidas, arranhões e carícias não transmitem toxoplasmose. 

Os veterinários de pequenos animais, que estão em contacto físico frequente com gatos, não apresentam uma maior seroprevalência em comparação com pessoas com outras profissões. 

É discutível a utilidade da realização de provas de sangue para determinar se o seu gato é seropositivo ou seronegativo. O facto de um gato apresentar um resultado positivo para a toxoplasmose não significa que represente um risco para a mulher gestante. Os gatos eliminam os oocistos apenas uma vez na vida (logo após a infeção inicial), mas permanecem positivos para toda a vida. 

Evitar o contacto do gato com o meio exterior e alimenta-lo com dietas comerciais e/ou cozidas ajuda a eliminar efetivamente a ameaça de exposição e transmissão de doenças, tal como a toxoplasmose.

Como evitar a Toxoplasmose: 
- Não comer carne crua ou mal cozinhada 
- Lavar bem as mãos e todos os utensílios utilizados após a manipulação de carne crua 
- Lavar bem legumes e frutas 
- Beber águas tratadas 
 - Beber leite pasteurizado 
 - Fazer jardinagem com luvas 
- Limpeza diária do areão do gato (Caso este tenha contacto com o exterior) 
 - Não oferecer carne crua ao seu gato 

Artigo elaborado em colaboração com Dra. Filipa Bastos 
Clínica VetPeniche 
Avenida do Porto de Pesca, Lote 1.D, nº9 
Peniche