0

10 Dicas para Viajar com crianças sem ganhar tremeliques nos olhos


Viajar com crianças é uma experiência incrível para toda a família, no entanto, caso não tenhamos cuidados e técnicas de organização, também poderá revelar-se um verdadeiro caos, digno de ganharmos tremeliques nos olhos. 

Os meus filhos nasceram numa família de viajantes que anseiam conhecer os 4 cantos do mundo e deixar de viajar porque fomos pais estava fora de questão. Agora as nossas aventuras são a 4 e na verdade são eles quem mais aproveita. 

Em cinco anos de maternidade voamos para Marrocos, viagem tranquila e muito rápida (1h30 de voo), atravessámos o Atlântico até Punta Cana (8h de voo), México (12h de voo) e Maldivas (voo com escala em Istambul, num total de 18h em trânsito). Gostaria de partilhar a minha experiência para que percebam que viajar com miúdos não é o fantasma das cuecas rotas. 

Temos de nos mentalizar que tudo depende de nós. Depende do nosso estado de espírito, da nossa organização e predisposição para descomplicar. 

1 – Mentalização (não vou stressar, vou descomplicar) 

As crianças estão habituadas a determinadas rotinas e sabem com o que podem contar, porém, no período de férias tudo é diferente, mudam os horários, a alimentação e as regras do jogo e eles podem reagir positivamente e ser tudo muito tranquilo, ou então não. As falhas da rotina podem gerar sentimentos contraditórios, birras, mau humor, ansiedade por não saberem o que se segue, por ser tudo novidade. Nós, pais temos de aprender a lidar com isto, facilitar a vida e descomplicar. Basicamente há que fechar os olhos a muita coisa e seguir em frente. 

2 – A bagagem 

Preparar as malas com antecedência é uma tarefa que considero indispensável. Eu começo a separar roupas, produtos de higiene, brinquedos, proteção solar e calçado cerca de 2/3 semanas antes de viajar. Assim não há como esquecer coisas importantes e conseguimos evitar levar a casa às costas porque tudo é pensado e ponderado calmamente. Normalmente faço listagens e vou picando conforme for colocando nas malas. 

3 – Voos 

Os voos são a grande preocupação dos pais, mas posso garantir-vos que vai correr bem, caso estejamos completamente dedicados a entreter os miúdos. Não esperem ver filmes, jogar ou ler livros com crianças ao lado. Eles vão precisar da nossa atenção mais do que nunca. Levem os brinquedos preferidos, livros e lápis, plasticina, jogos, tablets com os desenhos animados que gostam e alguns snacks para irem petiscando. Bolachas, queijinhos, frutas etc. Quem viaja com crianças pode levar comida e líquidos. 

4 – Farmácia 

Dependendo do destino e das condições sanitárias locais é fundamental estarmos prevenidos com a medicação básica, caso seja necessário. Cada pediatra poderá recomendar a sua lista de essenciais e recomendo que seja feita uma consulta prévia caso viajemos para destinos exóticos. Na minha bagagem não falta Brufen, Benuron, UL-250, Fenistil para as picadas, soro de hidratação oral e uma loção refrescante para as queimaduras solares. Para os adultos levo sempre Imodium, algum anti-estamínico e analgésico. Felizmente quase nunca foi necessário recorrer a medicação. 

5 - Alimentação 

Em todo o mundo há carne, peixe, massa, arroz, legumes, fruta e ovos portanto ninguém vai passar fome. Se viajarmos para um resort há dezenas de opções diferentes todos os dias e podemos sempre pedir para simplificar a confecção por causa das crianças. Aqui é fundamental descomplicar ao máximo, ao nível de horários e do tipo de alimentação que as crianças poderão fazer. Uma semana passa a correr, não vale a pena nos preocuparmos demasiado com a comida. Quem tem bebés aconselho a levar, boiões de frutas, papa e leites individuais, para termos como recurso. Viajei com um bebé de 9 meses e na altura levei o fervedor eléctrico para ferver a água do biberão e levei um termo para ter sempre água quente em qualquer lado, fica a dica. 

6 – Carrinho de bebé 

Eu levo sempre os carrinhos, dão muito jeito para que não fujam no aeroporto e para os transportar durante as férias. Também são a melhor cama para adormecerem à noite e nós podermos usufruir dos espectáculos ou beber um copo na esplanada, enquanto eles ficam confortáveis a descansar perto de nós. Os carrinhos vão até à porta do avião e à chegada são disponibilizados imediatamente, ou seguem até aos tapetes de recolha de bagagem, mas os procedimentos dependem de companhia para companhia. 

7 – Brinquedos 

Não vale a pena levarmos muitos brinquedos, um balde, uma pá e umas forminhas é mais que suficiente. Levar também bóias e braçadeiras, tudo resto vai depender do que conseguirmos inventar. 

8 – Descansar é uma utopia 

Não esperem que viajar com crianças inclui jiboiar na espreguiçadeira, dormir sestas à sombra da bananeira, ler tranquilamente, ou estar com o corpo sem areia. É só para avisar que isso não vai acontecer! Eles precisam de atenção, pedem para ir à casa de banho 20 vezes dia, principalmente à hora das refeições, só querem estar dentro de água, e chamam mãe 30526 vezes dia. Mas isto todos nós sabemos não é verdade?! 

9 – Ir com tudo 

Eu quando viajo não deixo nada por fazer ou ver, só porque levo crianças. Eles já fizeram tours de autocarro, excursões de barco, passeios de camelo, dias de snorkeling e dias culturais. Ir com tudo, dentro do que é razoável e seguro para as crianças obviamente. Os miúdos têm muita facilidade de adaptação e normalmente são quem mais aproveita as experiências. 

10 – Registar os melhores momentos 

Fotografar e filmar os melhores momentos para perpetuar as memórias e recordar as experiências passadas em família. 

“Não ouças o que te dizem, vai ver”