0

Tinha-te as vezes que fossem precisas


Tinha-te outra vez. Tinha-te as vezes que fossem precisas. Tinha-te outra vez quando eras tão pequenino que nem te sentia o peso. Tinha-te outra vez quando mal abrias os olhos e me procuravas o peito. Tinha-te outra vez nas noites em que acordavas de hora a hora. Tinha-te outra vez na primeira vez que sorriste para mim. Tinha-te outra vez quando começaste a gatinhar pela casa toda. Quando me sorrias e sabias que estavas a fazer alguma coisa de errado. Quando comeste banana pela primeira vez e disseste nham nham. Quando fazias cocó até ao pescoço. Quando adormecias na nossa cama e de manhã abrias os olhos e largavas um sorriso gigante por perceber que estavas ali. Quando dizias olá a quem passava na rua. Tinha-te outra vez quando abrias e rasgavas os papéis debaixo da árvore de natal. Quando fazias chichi assim que te tirava a fralda. Quando partilhaste o pão com a Sushi pela primeira vez. Quando disseste mamã muitas vezes seguidas enquanto esticavas os braços para mim.Tinha-te outra vez agora, filho, e todas as outras vezes que me passas pela cabeça durante o dia. Que são imensas. Porque ter-te é inexplicável. Ter-te, sentir-te, cheirar-te é uma experiência de outro mundo. Tinha-te agora mesmo outra vez, na sala de partos, com toda a calma e serenidade do mundo, exactamente como foi. Tinha-te outra vez agora mesmo só para te sentir mais, para te sentir melhor, para te dar ainda mais de mim. Tinha-te outra vez hoje, amanhã e todos os outros dias. Porque por mais vezes que te tenha, nunca vou conseguir que saibas o quanto te adoro, o quanto gosto de te ter. Por mais vezes que te tenha, nunca serão vezes suficientes para te amar o suficiente. 

Parabéns Sebastião, um ano inteiro de ti :)