0

À minha mãe



A ti mãe que deste de ti, o melhor, sei tão bem! Muitas vezes na caminhada sozinha, já cansada, sem poupar o resto que te faltava.
Depositaste em mim o sentido tua vida mas nunca me desviaste para ti. Fizeste-me um ser do mundo e agora estou tão longe do teu abraço e do teu sorriso que quase não vejo.
Mãe de meia idade tão diferente das outras naquele tempo. Mãe que amadureceu com o entardecer de tantos por-do-sol e que sabia ter calma nas tempestades. Uma palavra amiga, uma mãe conscienciosa, que pelo efeito das palavras me soube mostrar na encruzilhada qual o lado esquerdo e o direito, sem apontar.
Não merecias de certeza o furacão de ver uma filha na doença, de pensar sequer em perdê-la. Que forças tiveste para cuidar mais, agarrar e não deixá-la partir!
Devo-te a minha vida, mais do que uma vez!
Naturalmente, perdeste forças e eu tenho saudades tuas, dos teus conselhos conservadores, das tuas palavras conscienciosas, dos desabafos, do teu apoio.
Senti tanto a tua falta do teu colo, quando tive medo de ir; quando tive um filho nos braços e não sabia como era ser mãe. Senti tua falta como avó para os meus filhos, nem que seja aquela que estraga. Às vezes procuro conselhos sábios à procura de um pouco de ti, no que tanto ainda querias ser, eu sei.
Chega a uma altura em que as mães ficam filhas e nem todas as filhas conseguem ser mães.
Temo que seja uma dessas, pois não sei cuidar como cuidaste, não tenho as palavras certas conscienciosas e, por vezes falo-te no silêncio poupando-te de ouvires aquilo que me fere e preocupa.  Revejo-te no que me mostraste e na mulher que sou e acho que fizeste tão bem o teu papel.
Agora entro eu em cena, está na hora de te dar o mais de mim sabendo que isso será sempre menos, para o tudo que mereces. Espero estar capaz dessa realidade dura, perdoa-me se não estiver. Esta inversão é desconcertante e deixa-me sem chão.
Tal como qualquer mãe, qualquer filha erra. O maior erro é se não houver entrega com o coração, por inteiro, sem guardar para amanhã. Por isso, não me lembro das tuas falhas e espero que perdoes as minhas.
Amo-te muito e obrigada pela mãe que foste (és).