0

O Milagre Acontece: Já Nasceu! E Agora? - 2ª Parte



A fase após o nascimento merece a nossa atenção plena, tal como escrevi no anterior artigo. Por essa razão deveríamos reservar momentos para “namorar” – entre o casal e pais-bebé. Esse namorar relaxa o casal e um casal relaxado tem mais hipóteses de ser bem sucedido na parentalidade. A este “relaxamento” deve estar aliada a responsabilidade inerente ao cargo, como é óbvio.

As visitas de familiares logo após o parto são bem vindas, mas, simultaneamente, deveriam ser mantidas no mínimo, a não ser que os pais se sintam confortáveis com isso, e que venham para ajudar, pois a mãe e o pai precisam de conhecer o bebé e adaptar-se às novas exigências, para além da necessidade de descanso. Por isso, aproveite para dormir durante o dia, com o bebé. Deixe o bebé junto a si, ele precisa do contacto do seu corpo até se adaptar ao mundo.

Após as primeiras mamadas do bebé (em breve escreverei um artigo inteirinho sobre a amamentação), logicamente teremos o primeiro cocó – este é chamado de mecónio e é muito escuro, quase preto. É muito importante que os intestinos sejam limpos para a sua saúde futura e é o que acontece, na maioria dos casos. As fezes do bebé devem ser macias e cor de mostarda. Se forem verdes, o sangue pode estar muito ácido (os medicamentos, açúcar e álcool tornam o sangue mais ácido) e se forem escuras, pode ser excesso de sal. Se tiver diarreia, pode ser resultado de comida muito ácida que a mãe tenha ingerido. Se tiverem mau cheiro, a mãe pode estar a comer produtos animais em excesso.

Nas primeiras semanas o bebé deve estar sempre perto da mãe, para que se sinta seguro. O pano porta-bebé é uma excelente opção para permitir o contacto próximo e, simultaneamente, possibilitar a mobilidade da mãe, com as mãos livres. Não se iluda com os comentários do tipo “Não o habitues ao colo!” ou “Eles precisam de chorar para expandir os pulmões!”; os bebés precisam das mães de imediato e incondicionalmente. As mulheres têm que se transformar em heroínas, em super-mulheres, com ou sem vocação para tal. É isso que é esperado delas pelos seus bebés que são extremamente exigentes. Se o bebé chorar muito não pense que é por ter fome e que o seu leite não é bom. É provavelmente aquilo que lhe irão dizer nesse caso. Se se experimentar leite de fórmula, alguns bebés param de chorar, o que pode apenas significar que ficaram empanturrados. Quando escrever sobre alimentação, irei debruçar-me também sobre as desvantagens de leites que não foram naturalmente concebidos para bebés humanos.
A primeira saída do bebé só deveria acontecer quando o bebé estivesse bem à vontade com o ambiente de casa – primeiro do quarto, depois do resto da casa. Isto por causa do aspecto da segurança emocional e também por causa dos microrganismos, com os quais o bebé irá ter contacto no exterior sem ainda estar bem familiarizado com os da casa. Normalmente isto demora algumas semanas, mas cada mulher deverá tomar a sua decisão, dependendo do seu estado, uma vez que também convém que ela descanse bastante.

Não se preocupe com a perda de peso inicial do bebé, já que ela é normal até a amamentação estar estabelecida. Eles podem perder 5 a 8 % do seu peso na primeira semana. Duas ou três semanas depois eles recuperam o peso do nascimento.
No próximo artigo continuarei a dar mais alguns conselhos que as recém-mães (e pais!) podem considerar úteis para a fase após o nascimento e cuidados com o recém-nascido, escrevendo sobre os bebés coléricos, frequentemente denominados de “bebés com cólicas”.