0

O futuro está nas nossas mãos



Cá em casa como em muitas outras que conheço, preocupamos-nos com o meio ambiente. Fazemos separação do lixo, evitamos desperdícios, reutilizamos, e tentamos dentro do possível comprar de forma sustentável. Tento passar ao meu filho esta forma de estar, para que também ele adquira de forma gradual a consciência de que o ambiente depende de todos, e ponha em prática hábitos mais ecológicos. Só que, já me aconteceu mais que uma vez, passar a mensagem de forma demasiado dramática, ao ponto de lhe causar ansiedades desnecessárias. Deixo um exemplo.
Depois do Verão, o meu filho começou a perguntar quase todos os dias, se a água já estava a acabar. E isto acontecia porque eu, na tentativa que ele entendesse o motivo de o obrigar a tomar banhos rápidos, e de não o deixar desperdiçar água com brincadeiras no duche, lhe disse que, por não chover há muitos meses, a água da torneira estava a acabar. Por isso tínhamos de poupar água.
Para que ele entendesse melhor, pedi-lhe para visualizar um depósito gigante, que guardava a água potável de todos, e que, esse depósito estava a ficar vazio. Todos nós, tínhamos de gastar só o necessário, senão ela acabaria.
Não fazia ideia, que com esta explicação, não só aceleraria o processo do banho, mas também o deixasse preocupado ao ponto de pensar que a qualquer momento, ficaríamos sem água na torneira. A preocupação tornou-se tão aguda que me obrigou a reformular a explicação. Fiz-lhe perceber que todos estávamos preocupados, e por isso todos estávamos a poupar água para evitar que isso acontecesse. Era algo que tinha solução se fizéssemos a nossa parte. Acabei por conseguir tranquilizá-lo.
É importante a sensibilização ambiental das crianças, mas ao passar a mensagem devemos fazê-lo de forma adequada, não devemos alarmá-las ao ponto de lhe tirar o sono (obviamente eu exagerei na minha primeira tentativa). O objectivo é que adquiram bons hábitos, mas que sintam que o seu contributo faz diferença.

Como educar pelo exemplo é sempre a melhor forma, seja na reciclagem, redução de consumo, ou reutilização de materiais. Este ano, uma das minhas resoluções de ano novo, é precisamente, procurar (ainda) mais soluções ecológicas no nosso dia-a-dia, e envolver o meu filho nessas soluções, de forma que sinta que o respeito pelo ambiente é tão importante como o respeito pelos outros. E vocês? Têm alguma resolução de ano novo que queiram partilhar?