0

Que mãe sou eu??


No início do ano lectivo tive duas reuniões de encarregados de educação, com intervalo de dois dias.
Duas reuniões distintas, até porque somos todos diferentes (pais e directores de turma), mas foram duas reuniões em que vi o mesmo PowerPoint sobre as mesmas regras da mesma escola e do mesmo agrupamento de escolas.
Bem sei que é necessário, mas ouvir e ver o mesmo em 48h, deixou-me mais uma vez descabelada.
Mas houve uma reunião que me deixou a pensar.
Que mãe sou eu???
Enquanto havia pais a fazerem perguntas (eu, como já tenho uma filha a frequentar a escola à mais tempo, e porque estive numa reunião onde foi falado o mesmo, sabia as respostas) pensava quando termina a reunião, que ainda tenho que ir ao supermercado, tenho o jantar para fazer, banhos para despachar, tanta coisa para preparar e fazer…”
E de repente soou um “plim” na minha cabeça quando começo a ouvir um pai a questionar sobre o cartão da escola e o saldo do mesmo. A questão essencial era como controlar o saldo do cartão do filho? Onde poderia ter acesso a essa informação?
E dei pela minha mente mais uma vez inquieta.
Controlar o saldo do cartão?!?!? E falar com os filhos?!?!? E ensinar os filhos a gerir o dinheiro?!?!? E confiar nos filhos?!?!?
Aqui por casa o dinheiro é entregue para carregar o cartão para poderem comprar as senhas de almoço. Elas sabem que aquele dinheiro dá para x almoços e se o gastarem, ficam sem almoçar. Simples. Se precisam de comprar material na papelaria, falam connosco. Se damos autorização para comprarem algo mais, vêem se têm saldo e o valor do material que necessitam.
Não só elas gerem o dinheiro como fazemos que pensem e questionem a necessidade da aquisição de objectos (estou numa fase activa de destralhar). Tentamos incutir a confiança delas em nós, não controlamos, mas se houver gastos extras, falamos sobre o assunto.
Até agora tem resultado. No futuro se as coisas se alterarem tentamos resolver, com base na confiança e conversa.

Artigo adaptado de www.aminhamenteinquieta.pt