0

E se a mamã adoecer?



Tomamos vários medos e receios no pós-maternidade. Ficamos medricas com sintomas, com viroses, com quedas, com choros. Ficamos reticentes sobre o que poderá ser e como se poderá resolver. Mas tudo isto em relação aos nossos pequenos rebentos. Há uma altura, ali pelos meados do nascimento, que deixamos de nos preocupar connosco, com as nossas dores, com as nossas maleitas ou com os nossos sintomas. E creio que mais bem ou mais mal continuamos sempre com este instinto maternal, esta proteção que instintivamente nos afasta das nossas “doenças”.
Há uns dias dei por mim a pensar nisso. E pela primeira vez tive medo de adoecer. Tive medo de um repouso forçado. Tive medo que me dissessem que tinha de parar e abrandar. Que não te podia ver, ou que não te podia pegar…tive medo…e somos feitos de medos sim. Uns mais controláveis que outros. Uns medos momentâneos outros nem por isso. Acredito que seja apenas uma fase, mas a verdade é que ganhei este medo e dei por mim a pensar muito nisso.
E ganhei este medo porque o quero demais. Porque o necessito muito e porque a presença e o toque dele são para mim vitais. Ganhei este medo porque ninguém melhor que eu conhece as suas tendências, as suas birras, as suas “taras e manias”. Porque gosto de ser eu a acordá-lo e não me vejo a abrir mão disso só porque poderei ficar doente. Porque gosto de ser eu a levá-lo à escola na maior parte dos dias e quando isso não acontece fica sempre a faltar um bocado do meu dia. Porque gosto de ser eu a dar-lhe banho para brincarmos juntos e sempre que isso não me é permitido perco um bocado da minha alma de criança. Porque gosto de o deitar e lhe contar a história, e se isso, por motivos de doença se alterar a minha noite não será tranquila nem calma.
Se a mamã adoecer ele perde um pouco e eu perco muito. Se a mamã adoecer ele estranha mas entranha e eu nunca aceitarei. Se a mamã adoecer ele será com certeza sempre muito bem tratado mas eu ficarei mal tratada psicologicamente. Se a mamã adoecer ele vai desenrascar-se como já algumas vezes o fez mas eu nunca saberei lidar com a situação. Se a mamã adoecer ele continua a crescer e eu tenho medo de perder este crescimento desenfreado e regular.

A mamã não está doente. Darei sempre a minha vida por ele. Aceitarei mil e uma vezes ficar doente na vez dele. Entenderei sempre que algo de pior aconteça para este lado do que para o lado dele. Viverei sempre acreditando que devemos ver os nossos filhos crescerem fortes e saudáveis e só isto acalmará estes receios. Mas estou ciente que isso poderá acontecer, como já em algumas vezes aconteceu. Que sejam poucas essas vezes, e que sejam amenas…sinal que não ficarei com os medos cravados na alma e os receios no coração.