0

O Advento



Uma das coisas mais maravilhosas de ser uma família multicultural é poder fazer uma mistura das tradições de cada cultura. Claro que no fundo todas as famílias fazem isso, mas quando a família junta pessoas de diferentes origens isso é um dado (quase) adquirido.
Uma das tradições que herdámos da terra do Pappi foi a celebração do Advento. A 1ª tradição que adotámos foi as velas do advento. Temos 4 velas, e em cada domingo se acende uma vela até ao Natal. As meninas já sabem, e normalmente, cada um de nós acende a sua vela. A coisa melhor é que fazemos disso um momento conjunto, e ficamos sempre ali juntos a olhar para a beleza das velas e celebramos esse momento. Sentimos sempre que é uma coisa muito nossa, uma vez que não conhecemos outras pessoas em Portugal que o façam. Na Suiça, todas as casas têm.
Também iniciamos o calendário do Advento no dia 1 de dezembro, que vai contando todos os dias até ao dia 24. Quando a nossa filha mais velha era pequena, a avó Mamama enviava todos os anos um calendário do advento. Este calendário tinha uma pequena lembrança para abrir cada dia até ao Natal. Era uma maneira de pensarmos na avó todos os dias. Mas os CTT fizeram a partida de cobrar uma taxa de importação várias vezes que se tornou tão cara e tivemos que desistir. Deste então, dei eu seguimento ao calendário. Umas vezes faço, umas vezes compro feito. Já tivemos calendários de vários feitios. Uns com prendas, outros com atividades, outros com objetos para montar. A Tia uma vez fez um com poemas. Enfim, tudo depende da disponibilidade do mês de novembro para a preparação e da imaginação de cada um, e da forma como gostamos ou queremos celebrar o Advento. Esta é uma das coisas que conseguimos importar e fazer também com os primos Portugueses.
Aquilo que ainda não consegui trazer, com grande pena, foi a árvore de Natal com velas em vez de luzes. Em casa dos tios, a árvore só é montada nas vésperas do Natal, é uma árvore mesmo a sério (há muitas que são para replantar), e é decorada com velas, acesas apenas no momento da troca dos presentes. Esta é uma tradição Suiça e que leva a várias histórias de incêndios. E para além de ser lindo, é sob esta luz que normalmente o avô Papapa lê a história do Natal, em várias línguas (Latim e Alemão). Embora os filhos (dele) se queixem sempre, eu adoro ouvi-lo, e gravo sempre para que as minhas filhas possam preservar esses momentos no futuro.

Este misto de tradições tem servido para celebrar o Natal em família, na nossa família, mas também é algo que aproxima as minhas filhas dos primos e tios geograficamente mais distantes.