0

Os 35 anos…e uma amniocentese

Hoje em dia deparamo-nos com gravidezes mais tardias em idade. Pelas variadíssimas razões, sejam elas de carácter pessoal, profissional, de saúde…etc. Não foi minha intenção engravidar de um segundo filho com esta idade, mas a vida não dá para programar como queremos, é feita de adversidades, contrariedades, surpresas (umas boas, outras menos boas) com as quais temos que saber lidar e contornar, sempre com o enfoque de que iremos conseguir alcançar os nossos objetivos…desistir nunca! A meta que “coloquei” a mim própria eram os 35 anos!!! E porquê??? Entre outras razões, pelo medo de ter que fazer a tal amniocentese!!! Mas os 35 anos chegaram, a gravidez há tanto desejada e esperada também e eis que chega o dia em que o médico obstetra diz “35 anos temos que realizar a amniocentese”! Naquele momento senti um frio na barriga…dúvidas e mais dúvidas. Por um lado era o medo e o fantasma do resultado, mas acima de tudo era o medo do procedimento em si (sim…porque eu sou super medrosa!). No entanto quero partilhar com todas as mães, que poderão eventualmente vir a passar por isto, a minha experiência!
A amniocentese consiste numa punção percutânea do útero que tem como finalidade a retirada de uma certa quantidade de líquido amniótico, deve ser realizada entre as 16 e as 17 semanas de gravidez e permite ao médico verificar se o feto é portador de algum tipo de anomalia congénita.
O dito exame foi realizado pelo meu obstetra, o que para mim foi uma grande segurança, correu lindamente, não senti nada para além de uma ligeira cãibra na barriga e não demorou mais que uns meros 10 segundos! É um procedimento seguro, os movimentos do bebé estão constantemente a ser monitorizados mediante o ecógrafo e o ambiente em que o mesmo decorreu foi de grande tranquilidade e até de boa disposição!
Concluindo, quem eventualmente tiver que passar pelo mesmo, deixem os receios e os medos de lado, não custa mesmo nada e se seguirmos à risca as orientações médicas, no que diz respeito ao repouso, tudo corre pelo melhor! No nosso caso, felizmente, tudo correu lindamente, o antes e o depois, os resultados preliminares chegaram ao fim de 48h o que também nos tranquiliza bastante! É claro que é uma decisão nossa fazer ou não o exame, e existem hoje em dia outros procedimentos não invasivos, mas bastante dispendiosos e que não são comparticipados pelo sistema nacional de saúde, nem por muitos seguros. Para além de serem mais seguros para o bebé, não despistam o mesmo número de anomalias cromossomáticas que a amniocentese. Contudo, depois desta experiência aconselho a quem tiver que passar pelo mesmo que não hesite a fazer, porque viver com o medo de que algo não esteja bem com o nosso bebé até ao fim da gravidez deve ser uma tormenta!
Ah e tem a parte boa de ficarmos logo a saber o sexo do bebé!!!!