0

Educando na Barriga – 1ª Parte

Como prometido, neste artigo irei iniciar a abordagem de alguns temas importantes na educação dos bebés quando estes ainda estão na barriga (no anterior artigo escrevi sobre a criação de um novo ser e a educação pré-natal).

Alimentação
A alimentação afecta o bebé antes mesmo da concepção, porque afecta a qualidade das células reprodutoras dos pais e os factores genéticos nelas contidos (80% do desenvolvimento do cérebro humano ocorre na gravidez e nos primeiros três anos de vida). Logo nos primeiros dias após a concepção, começam a formar-se os grandes sistemas do corpo – circulatório, digestivo e nervoso, pelo que a qualidade do sangue da mãe deve ser a melhor possível. Um bom sangue, com pouca acidez e rico em nutrientes essenciais consegue-se com um estilo de vida saudável e uma atitude consciente perante a vida. No terceiro trimestre o desenvolvimento do cérebro é muito rápido, logo aquilo que a mãe ingere continua a ser de extrema importância.
Antes de engravidar a alimentação da mulher (de preferência do casal!) já deve ser cuidada pois na gravidez será muito difícil mudar de hábitos. Por exemplo, se uma mulher sente o desejo do sabor doce, e se antes de engravidar tiver o hábito de ingerir produtos açucarados como bolachas, bolos, gelados, chocolates, etc., na gravidez serão esses alimentos que lhe vêm à mente. É aconselhável que ainda assim ela tente nutrir o corpo com o sabor que este necessita selecionando alimentos da melhor qualidade possível. Neste caso a grávida poderia escolher comer fruta, frutos secos como figos, passas e tâmaras, pão com mel/geleia de arroz/côco. Sentir-se-ia nutrida e satisfeita e seria uma escolha que toma em consideração a saúde do filho.
Considero que boas escolhas alimentares incluem vegetais e frutos frescos, orgânicos e da época, cereais integrais (arroz, millet, aveia, quinoa, etc.), leguminosas (feijiões favas, lentilhas, grão-de-bico, etc.), sementes, frutos secos e algas, com moderação no consumo de alimentos de origem animal.

Exercício físico
Antes de engravidar, a mulher deve estar na melhor forma possível. Não ter peso a mais nem a menos, pois ambas as situações podem impedir as hipóteses de engravidar e causar desconforto durante esse período. Se uma mulher grávida é preguiçosa, a sua criança poderá ter a mesma tendência, ao passo que se ela se mantiver ocupada, a sua criança irá desenvolver tendências mais activas. Boa actividade física irá produzir um bebé mais forte, compacto e activo. É aconselhável a prática de exercícios físicos como yoga, dança, chi-kung, tai-chi, natação, etc., os quais promovem o bem-estar corporal e ajudam a circulação da energia.

Atitude mental e espiritual
Se uma mulher permanecer calma e sossegada durante a gravidez, a sua criança tenderá a desenvolver uma personalidade mais gentil. Ao contrário, se ela discutir e estiver frequentemente zangada, a sua criança poderá tender para se sentir infeliz, confundindo aquilo que são as emoções da mãe com as suas. O cultivo de uma atitude pacífica e feliz durante a gravidez é tanto da responsabilidade da mãe como do pai, uma vez que este exerce uma forte influência nos pensamentos e emoções da mulher. Se uma mulher grávida ficar preocupada, irritada ou considerar a hipótese de um aborto, o bebé será adversamente afectado. Tal como os pensamentos negativos ou estados emocionais alterados influenciam negativamente uma planta, enquanto que pensamentos mais positivos produzem um efeito mais positivo, também os pensamentos e emoções da mãe produzem um forte efeito no embrião em crescimento no seu corpo. Este não consegue distinguir-se da mãe, nem mesmo quando já bebé se encontra fora do corpo.
É difícil controlar o que se pensa e sente e não é isso que aconselho, mas prestar atenção aos nossos pensamentos e emoções permite que estes se revelem, que os consigamos identificar, e esse é o primeiro passo para desacelerar, tranquilizar a mente. O ambiente vibracional no útero irá reflectir esta harmonia.

No próximo artigo continuarei a falar sobre Educação Pré-Natal – atitude mental e espiritual (continuação), música na gravidez e preparação para o parto e nascimento.