0

Ser Mãe sem Mãe!



Tenho poucas como esta...muito poucas por sinal ao contrário do que é suposto quando a gravidez deveria ser um estado de graça e felicidade extrema.

Pois comigo não... Tinha o sorriso no rosto mas o coração despedaçado e o medo era constante. Há 5 anos descobria que já fazias parte dos meus dias agitados...das minhas noites mal dormidas...das minhas lágrimas corridas a cada viagem e a cada regresso do hospital. Contra tudo e até mesmo contra mim foste crescendo. Conseguiste desenvolver-te num corpo que estava muito carregado de coisas tristes. Contra tudo e mesmo não acreditando conseguiste aguentar o meu mal-estar físico e acima de tudo psicológico. Conseguiste evitar obstáculos como a minha tristeza, o meu mau feitio, as minhas dúvidas se deverias ou não existir. 

Mas tu já existias...tu já fazias parte de mim...tu já estavas a proteger-me de cair no abismo que a minha vida se tornou naquele ano. Foi por ti...e cada vez me convenço mais disso.
 
Um dia saberás por mim que tive dúvidas...que chorei muito sozinha...que pus em causa muita coisa, única e simplesmente porque estava em queda acentuada. Única e simplesmente porque não conseguia aceitar que me estavam a tirar o ninho e a plantar o meu próprio. Única e simplesmente porque para mim, o verdadeiro amor não pode nem deve ter substitutos.

Há 5 anos que a jornada tem sido de crescimento...Há 5 anos que dia para dia acredito que és um Milagre na minha existência e há 5 anos que acredito que perdi parte do meu coração mas que a outra metade está com certeza muito mais rica.
Sou-te eternamente grata por este crescimento pequeno príncipe T 

Texto originalmente publicado em http://eleomicrofoneeamama.blogs.sapo.pt/