0

'Passei-me' e dei-lhe uma palmada’


'Passei-me' e dei-lhe uma palmada. - dizia uma mãe em tom de desabafo.
Foi o pior fim-de-semana da minha vida. Estive sozinha com os miúdos, eu estava cansada, finalmente e a muito custo tinha conseguido adormecer o mais pequeno. Eu precisava apenas de um pouco de calma e o mais velho só gritava e chorava, porque queria isto e depois já não queria, enfim.... nem sei como aconteceu, foi tão rápido, agarrei-o e dei-lhe uma palmada. - continuou esta mãe, lavada em lágrimas.
Ele ficou a olhar para mim, muito espantado (isto nunca tinha acontecido), e disse-me: 'mamã, tu bateste-me.' Nem sei, deu-me um aperto no coração, fiquei ainda pior. Desatei a chorar, a chorar.... não conseguia parar. Pedi-lhe desculpa tantas vezes seguidas. Não sei o que se passou comigo. Estava fora de mim. - concluiu a mãe.
Ouvi em presença e disse-lhe:
'Sabes, tu não estavas fora de ti. Estavas bem lá dentro, naquele espaço mais escuro que todas nós temos e que a maternidade inevitavelmente acorda. Está tudo bem! Eu também não gosto de estar no escuro. O mais importante é que reconheceste o caminho que não te faz bem (nem ao teu filho) e que não queres repetir. A tua intenção não foi bater realmente no teu filho a troco de lhe mostrar quem manda ou que é mais forte. E o teu filho sabe isso. Os pais também erram, também fazem birras, também explodem e também precisam de ser perdoados.'
Sabes, não conheço uma mãe ou pai que já não tenha se sentido assim, 'fora de si' e, perante uma situação limite, tenha reagido impulsivamente de uma forma inesperada para ambos (mãe/pai e filho). As situações limite estão aí, todos os dias.
Cabe a nós, pais e mães crescermos e aprendermos a reconhecer os sinais antes da 'explosão'.
O stress, a tensão, o cansaço, a falta de paciência, a ansiedade, sentires que não tens tempo para ti, tudo isto são sinais que estás próxima do teu limite.
E é aqui que te digo: Olha para dentro. Tu também precisas de cuidar de ti. Quando o fazes ganhas espaço interior, ganhas 'tempo', ganhas paciência, ganhas auto-estima, ganhas vida.

E advinha? O ambiente à tua volta vai reagir a este teu estado e, na verdade, todos ganham.