0

Coisas que aprendi com as minhas filhas


Os filhos não nos trazem somente a maior felicidade e as maiores dores de cabeça. São também autênticos professores universitários especializados em ensinar-nos novas matérias. Tão novas que nos podem transformar em pessoas completamente diferentes. Sim, para muitos de nós há mesmo toda uma nova personalidade depois dos filhos... Entre tantas outras coisas, eis as mais importantes que as minhas 2 filhas me ensinaram:

A perder a vergonha
Sim, era e sou muito tímida e envergonhada, não sou de todo a pessoa mais social do mundo... mas quem pode ser assim com festas de anos todo o santo fim de semana e com pelo menos 30 mães/pais dos coleguinhas de escola com quem conferenciar? Exacto...

A perder tempo
Quem se pode dar ao luxo de perder tempo? Nunca, nem pensar, com tanta coisa para fazer! Pois não há nada melhor do que perder tempo com os nossos filhos, só porque... sim! Perder tempo a brincar com eles, a vê-los interagir com outros miúdos ou simplesmente a vê-los dormir. Sabe tão bem...

A ter calma, muita calma
Esta não precisa de grandes explicações, certo? Solidariedade maternal, amém!!

A ser generosa
Acabou o eu primeiro a partir do dia em que o teste deu positivo. Podíamos nem ser as pessoas mais individualistas e egoístas, mas todas nós tínhamos aqueles momentos de me, myself and I. Pois esses momentos tornam-se mesmo instantes bastante breves quando acrescentamos o mãe à nossa vida.

A ignorar
Um dos primeiros verbos que a mãe aprende o significado? Relativizar. Sim temos de relativizar, principalmente se queremos manter a sanidade mental nos primeiros tempos. Mas eu vou ainda mais longe e digo-vos que aprendi também a ignorar. Desde os velhos do Restelo que nunca se enganam e raramente estão errados até às próprias filhas, nos dias em que nem elas se conseguem aturar a si próprias.

A ser constante
Hoje quero, amanhã não me apetece, hoje gosto bastante, amanhã detesto, talvez queira fazer isso hoje, amanhã não vou fazer de certeza... e por aí adiante. Qual é a mulher que não muda de ideias, de vontade a cada minuto? Muito poucas. Porém com os nossos filhos o caso muda de figura. Eles precisam da nossa constância, precisam de rotinas, de cadência. Precisam de equilíbrio, de balanço. O que é verdade hoje também tem de ser amanhã.

Infelizmente muitas vezes não posso fazer o que me apetece, mas sim faz parte. Estou em aprendizagem, estamos todos... Faz parte do crescimento e só posso agradecer às minhas adoráveis mini professoras!