0

A culpa é do leite


Cada vez que começava a mastigar ficava com mil dúvidas na minha cabeça. Será que lhe vai fazer mal? Será esta a causa? E se for só um bocadinho? Devo começar por uma quantidade pequena? Dúvidas, dúvidas, dúvidas.
 A informação chegava de todo o lado sem eu sequer pedir. Os “conselhos” sábios de quem já passou ou não pela experiência baralhavam-me o discernimento e cheguei a uma altura em que basicamente não me sentia confortável a comer nada. Ou, na verdade, não me restava quase nada para comer.
“As bananas acabaram”
“Só um pão pequeno por dia”
“Leite nem pensar”
“Queijo só para provar”
“Leguminosas? Estás louca?”
“Reduzir ao máximo os vegetais de folha verde. E a sopa com muitos legumes”
“Os doces mantêm os bebés acordados”
“São as bebidas com gás que provocam isso”
“Cuidado com o marisco, os frutos secos e as especiarias, podem ser alérgicos”
“E alguns peixes têm mercúrio”
“O tomate é ácido e eles ficam com o rabinho vermelho”
“A cebola dá mau gosto ao leite”.

Havia momentos em que olhava para o frigorífico e deambulava pela despensa cheia de fome e não tinha nada para comer. E o meu filho continuava a berrar com cólicas. Foram dias loucos,  de imensas pesquisas, de muitas massagens na barriga, de procura de algum milagre que o tirasse daquele sofrimento.  Até que segui o meu instinto, mais uma vez, e pensei para mim mesma que não fazia qualquer sentido cortar todos os alimentos que eram a minha base alimentar, muito menos fazê-lo depois de os ter comido em abundância durante toda a gravidez. Recomecei a comer exactamente o que me faz feliz, as minhas saladas, as minhas sopas e o meu pão escuro ou de sementes, pratos vegetarianos de feijão, grão, lentilhas e caril. E, de repente, o silêncio voltou e o meu filho sorri imenso e está a crescer bem e feliz. O que provocou aqueles dias de loucura? Não faço ideia. São bebés, estão a absorver tudo, o intestino está a adaptar-se, precisam de chorar para se livrarem da sobrestimulção. Afinal, o nosso intestino é o nosso segundo cérebro. Quantas vezes não ficamos com cólicas quando estamos nervosos ou quando sofremos por antecipação relativamente a grandes momentos da nossa vida? Com certeza que passa. E pode ser originado pelo que comemos. Mas também pode ser apenas uma fase do crescimento pela qual têm de passar. Não vamos é passar o resto dos dias a comer bife com arroz.