0

Ser Mãe de “Crescidos”


Costumo dizer que durante 10 anos andei a ter Filhos.

Aquilo que começou por um “bem, vamos lá ter o 1º bebé” transformou-se num vício, numa obsessão, numa forma de estar. De três em três anos eles foram chegando. Instalaram-se, fizeram de mim uma Stay Home Mother. Nunca precisei de ninguém para dividir as tarefas, Eu fui Mãe, transportadora, baby sitter, eu levei à natação, à música, ao surf, eu fui pôr e buscar a Escolas diferentes e a festas de aniversário diferentes.
Durante este tempo de Mãe, eu cresci imenso. Aprendi que quatro Filhos não se educam de forma igual, que quatro Filhos me ensinaram coisas diferentes. Se com a 1ª aprendi a ser Mãe, com o 2º conheci o Mar pelos olhos de um surfista, com o 3º testei a minha capacidade de aceitação da diferença e mergulhei no universo das tatuagens, com o 4º tive a prova de que educar em confiança e responsabilização é o caminho.
E num instante a infância de quatro se transformou em adolescência e a adolescência em idade pré adulta e adulta.

Continuo a ser Mãe de quatro e a comportar-me como tal.

Insisto nos programas que incluam todos (ou quase todos) e mantenho rotinas e recordações vivas de quando todos me seguiam como pintainhos atrás da Mãe Galinha.
No entanto, desengane-se quem pensa e me diz “que sorte, tu já tens os teus filhos crescidos”, no sentido de que o trabalho é menor e tudo é mais fácil.
Ser-se jovem, ser-se jovem adulto não é pêra doce e a missão dos Pais, Pai e Mãe, é para toda a vida. Como escolher o curso a seguir? Como decidir se se faz um estágio aqui ou acolá? Onde procurar um part time conciliável com os estudos e que ajude a concretizar planos tão óbvios como tirar a carta de condução?

Sim, ter Filhos dependentes de nós para mudar fraldas, dar de comer, dar banho ou apenas pôr uma chucha pode parecer cansativo e por vezes desesperante, mas acreditem…são dias tão doces, tão fáceis, tão amorosamente simples.

Hoje, pela primeira vez em 26 anos, inicio o meu período de férias sozinha com o meu marido. E estranho o silêncio numa casa que habitualmente se enche de ruído para as férias de Verão.