0

O melhor investimento


A partir de certo momento, durante a gravidez, começamos a construir o “ninho” para receber a nossa cria recém-nascida. Pesquisamos produtos, fazemos listas do que precisamos levar para o hospital, comprámos livros, lemos artigos, planeamos o quartinho ao pormenor, perdemos horas a namorar roupinhas lindas, e claro, começamos também a fazer também contas à vida! Será que vamos precisar disto? Será que é melhor comprar mais roupa? Será que este carrinho é bom?
E aí surge a questão das escolhas e dos (melhores) investimentos!
Fiz escolhas mais acertadas, outras nem por isso. Investi em objetos pela utilidade, outros por serem apenas bonitos ou um must-have da puericultura atual. Podemos gastar muito ou pouco, ser mais ou menos excêntricos nas escolhas, mas acredito que se há um investimento que todas as grávidas e recém-mamãs deviam poder fazer é no seu bem-estar físico e mental. 
Lembro-me perfeitamente da primeira aula de Exercício Físico Para Grávidas que fiz. O Mário – instrutor – perguntou-me, qual era o meu objetivo e se já havia aumentado muito de peso desde o inicio da gravidez. Eu respondi-lhe que não fazia ideia, só queria mesmo era aumentar o meu bem-estar (e o dela!). Comecei a frequentar as aulas já com quase 5 meses de gestação (apenas porque não as descobri mais cedo) e foram uma ótima maneira de suportar o “peso” (= o peso, literalmente falando, as hormonas e a ansiedade pré-parto) do terceiro trimestre!
+ corrigir a postura + aliviar os pontos de dor + aprender a respirar mais eficazmente + controlar melhor a respiração + exercitar os músculos fundamentais para o parto (músculos do assoalho pélvico) + produzir mais hormonas da felicidade e do bem-estar + partilha com outras mamãs + tempo ao ar livre
Acredito também que estes meses de exercício foram uma excelente preparação para a exigência física dum parto natural.
E, por fim, regressar às aulas de pós-parto. E ter a possibilidade de levar a pequena comigo, o que é uma grande vantagem e motivação extra. Exercitar os músculos de forma adequada, orientada por quem sabe faz toda a diferença. Para quem gosta de números, a verdade é que os vinte e tais quilos da gravidez já desapareceram. E mais importante do que isso, é que nos sentimos de novo donas do nosso corpo (ah sim, e afinal os nossos abdominais existem, não desapareceram para sempre no abismo da barriguinha!)
É um (grande) investimento. De dinheiro e de tempo. Sem dúvida!
Mas é um investimento com efeitos a curto, médio e longo prazo. Um investimento em nós. No nosso corpo. Na nossa auto-estima. Na nossa felicidade. No bem-estar do nosso bebé e da nossa família!