0

Mãe, o Átila?

Mamã, o Átila?
O Átila é o nosso BFF&E.
É um Pastor Alemão e é um Sir.
Quando era pequenito era arisco e se se apanhava na rua não queria voltar para casa! Queria era cheirar, brincar e correr! Sempre quisemos qualidade de vida para ele, para que pudéssemos ter segurança em deixá-lo solto a correr por todo o lado, em aproximações com outros animais, em esplanadas, etc… Por isso, frequentámos uma escola de obediência.

O Átila nunca esqueceu qualquer lição!
Bem obediente, companheiro de todas as aventuras, nunca nos causou situação alguma menos agradável. Não rói, não destrói, não morde, não foge, não se atira a outros animais, nada. Sempre digno da nossa confiança. Em jeito de brincadeira, até costumamos dizer a quem pergunta se pode fazer-lhe uma festinha, que até hoje só morde a ração! Ladra alto, é verdade mas é a forma mais óbvia que tem de comunicar! Anda sempre solto, ao nosso lado, senta, deita, “fica morto”, fecha gavetas, descobre brinquedos, espera por nós à porta do café ou do supermercado... Faz as delícias de todos os que o conhecem.

Tem 11 anos feitos em Maio e uma paciência imensa para suportar as brincadeiras da Emi. Éla é muito agarrada a ele.

E agora o nosso "mais velho" está doente. Estamos todos preocupados. Tristes. Não sabemos porquê, mas provavelmente tem a ver com a idade, foi-lhe diagnosticada uma pancreatite. Está internado há três dias, a soro e medicação. Ainda não quer comer…
E embora tenha esperança de que daqui a pouco ele esteja de novo a correr e a brincar connosco, a ideia de que um dia ele vai para o céu está entre os meus maiores receios...
As E's não conhecem a nossa vida nem a nossa casa sem Átila...
Não sei se sei como lhes explicar este tipo de coisas, principalmente, nesta situação. É que o Átila está sempre incluído e presente nas nossas vidas e actividades…
E se de repente….? Nem eu própria consigo controlar sempre as lágrimas, a preocupação e a tristeza…
A Emi, que é a mais chegada a ele, aliás é uma verdadeira "lapa", já questionou:
Mamã e agora? Ele vai ficar para sempre assim doente? Porque é que ele não vem para casa?
Filha, o doutor veterinário, está a fazer de tudo para que o nosso doguinho melhore e volte para casa… Esperemos que fique melhor, e que já esteja a brincar daqui por uns dias.
Mas mamã, o nosso doguinho vai morrer? Pergunta já mais elaborada e igualmente entristecida da Gé.
E a minha resposta, não podia ser outra:
Filhas, todos os seres vivos um dia morrem... No entanto, estamos a tentar proporcionar ao Átila tudo o que está ao nosso alcance para que recupere e nos faça companhia por mais uns tempos…
Temos de ter força, sim? Ele vai melhorar!

Não é fácil para ninguém, mas um dia… será uma dor inevitável.
Felizes de nós os cinco, que vivemos sempre felizes, temos imensas recordações fantásticas juntos e com muitos outros amigos, humanos e não humanos, em casa ou em viagens e aventuras! Sempre proporcionámos ao Átila um lugar digno, com grande respeito e amor, e temos a certeza de que nesta família ele é muito feliz!

Ele será sempre o nosso Best Friend For Ever & Ever…