0

A eterna culpa

Hoje surgiu este tema enquanto almoçava com os meus colegas e lembrei-me que nunca tinha escrito sobre este assunto. 

Acho que, assim de repente, não me lembro de nenhuma mãe que não viva atormentada por este bicho estranho que é a culpa. Para quem ainda não é mãe, posso já adiantar: vão sentir sempre culpa. Umas mais, outras menos mas penso que todas sentem e percebem aquilo que digo. 

Começei a ser invadida por este sentimento logo na sala de partos, quando a minha obstetra me diz: "Já nasceu a sua princesa! Que bela menina! Nasceu com 2,815kg!" O meu coração congelou. Nem queria acreditar, os meus esforços na boa alimentação, repouso e equilíbrio de nada valeram para que nascesse com um peso acima dos 3kg. Passei 9 meses a pensar que ia ter uma bébé com um peso e um percentil normal e nasce abaixo do percentil. A culpa só pode ser minha, devo ter feito alguma de errado durante a gravidez! 

Depois, viemos para casa e começaram os problemas com a amamentação, Carminho a chorar de 2 em 2 horas, a adormecer na mama e a acordar cheia de cólicas. Chorava horas a fio. Não produzo bom leite. A culpa é minha. 

Depois, foi crescendo e as coisas acalmaram até que, perto de fazer um ano, teve 2 estomatites aftosas. Doeu, doeu muito ver um filho cheio de fome mas sem conseguir mastigar, com a boca toda em ferida. Doeu ver a prostração e corta o coração a qualquer mãe ter de dar água a um bébé através de uma pipeta, porque nem sequer consegue tocar com os lábios num copo. "De certeza que não lavei bem os biberons ou as chuchas, tenho de ter mais cuidado". Culpa

Agora que faz asneiras, por vezes zango-me com ela enquanto lhe explico o porquê de não poder fazer certas coisas e, depois, arrependo-me. "Se calhar fui muito dura, sou muito exigente." Culpa.

E assim levamos os dias. Se não comem bem, a culpa é nossa. Se não dormem bem, andamos a fazer qualquer coisa de errado. Se não têm modos, não os sabemos educar. Se ficam doentes é porque não os agasalhámos bem. Enfim....não há como fugir! A culpa anda sempre connosco! 

Hoje dizia-me uma colega que também sente culpa atualmente, mesmo com um filho na casa dos 20! "Ufa, pensei. Não sou só eu!"