0

Últimos meses sozinha comigo mesma

São os últimos meses. Os últimos meses sozinha comigo mesma. Depois vou ter uma extensão de mim até morrer. É assustador pensar nisto. Tenho mesmo de confessar que me tira algumas horas de sono. Talvez seja egoísmo ou medo. Ainda não percebi. Sempre fui muito eu. Só eu. 
Eu primeiro, o mundo depois. Sou filha única, muito dona de mim, desde cedo fui uma criança sozinha. Por opção. Nunca fiz birras, passava horas a brincar sozinha e desde muito muito cedo aprendi a fazer companhia a mim própria dias inteiros nos meses de verão.  Gostava de estar com amigos, mas a hora de voltar para o meu espaço longe de todos, fazia-me sempre feliz. Passava muitas noites em silêncio a ler e a escrever quando já era adolescente. Sempre tive muita consciência de mim, muita reflexão acerca de nós próprios e dos outros. É por isso que fico ligeiramente assustada quando me apercebo da diferença que vai acontecer na minha vida. Daqui a dois meses não posso fechar a janela do quarto e tapar a cabeça com os lençóis por não me apetecer ver ninguém, não posso pegar no carro de um minuto para o outro e fugir para a minha melhor amiga quando tenho o coração apertado, não posso demorar-me mais tempo a apreciar qualquer coisa pois vou ter alguém a chamar por mim, a depender totalmente de mim. Daqui a dois meses já não sou só eu. Para sempre. Sou eu e outra pessoa que vai estar nos meus dias, sempre, a todas as horas e todos os minutos, mesmo que não fisicamente, emocionalmente. Uma pessoa à qual eu dei vida, que tem o meu sangue e as minhas células, até talvez a mesma forma de pensar.

Daqui a dois meses vou ser duas pessoas numa só. Nunca mais serei apenas uma. Nunca mais serei apenas eu. Nunca mais vou estar sozinha. Para o bom e para o mau. Na solidão e na felicidade. Como podemos não mudar enquanto pessoas? Enquanto mulheres? Quando uma pessoa pequenina olha para nós, com o olhar que lhe demos, com total devoção? Como podemos não ser outras pessoas? Como podemos não ser apenas mães? Sem que nada mais interesse?