0

Posso ir ao Festival do Sudoeste … com os amigos?

Normalmente quando chegam as férias escolares, os pais tentam encontrar forma de ocupar os seus filhos, e eu não fujo à regra. Desde o ATL, às colónias de férias ou aos avós (a quem tantas vezes recorri), é grande a ginástica que fazemos para garantir que os mantemos ocupados e em segurança.
E se no ano passado já me foi difícil aceitar que não queriam qualquer atividade e que o que queriam mesmo era ficar em casa (sozinhos!), este ano está a ser ainda mais complicado!
Todos os anos por esta altura somos “convidados” a marcar presença nos Festivais de Verão! Mas este ano está a ser diferente para mim!
Nos anos anteriores foram os amigos e as campanhas publicitárias que me lembraram que os Festivais de Verão estavam à porta. Este ano não foram os media que me lembraram que os concertos vão começar a acontecer … foi o meu filho Alex (15 anos)!
“Festivais de música, acampamento com amigos, dormir uns dias fora …”,  ainda não me via a falar disto com o meu filho!
“Tens de ter confiança, eu sei o que faço…!” Não basta responder que não é dele que desconfio! É difícil para ele aceitar que a minha grande preocupação não é ele, nem as suas atitudes, mas sim os outros!
E então eu, que conheço tão bem a realidade destes festivais, onde imperam o álcool e as drogas!
E não, ainda não me sinto preparada para o deixar ir, ainda não sinto que ele esteja preparado para viver este tipo de emoções, por maior que seja a minha confiança nele e nos seus valores.
“Tem tempo!” digo-me a mim própria, mais do que a ele!
E o que sinto é que, cada vez mais cedo os pais são muito permissíveis e permitem que os filhos tenham comportamentos que no meu tempo eram impensáveis! O sair à noite, o beber álcool e o fumar era algo que os meus pais me só me permitiram e aceitaram depois de ter a minha autonomia financeira.
Hoje sinto que eles crescem rapidamente e sentem que já estão preparados para enfrentar a Vida sozinhos!
Continuo a ter a minha opinião que não há uma idade certa para permitir que um filho vá a um Festival, ou para começar a sair à noite ou para dar mais e maior liberdade. Acho que como tudo na vida, a autonomia e a liberdade conquistam-se, por fases, com atitudes e com as provas que nos vão dando. Chamo-lhe maturidade, vivência e capacidade de entender que diariamente têm algo a aprender na vida … e com a vida!
Por mais que me custe ainda não acho que o Festival tenha de o receber!
Pelo menos de Tenda às Costas!
NOTA – Demos a possibilidade de ir connosco (até lá na nossa companhia) e que depois ele poderá estar com os amigos. No entanto regressa diariamente a casa!

Difícil … mas por enquanto as regras são as nossas!