0

O preço de um filho

Nós mulheres somos fantásticas! Somos seres incríveis e imbatíveis, numa constante luta pela felicidade! Somos capazes de tudo! Somos tudo o que precisamos ser, somos a excelência do ser humano... Somos Fantásticas.

Esta bajulação gratuita do ser magnífico que é a mulher tem uma razão...
Desde pequenas que nos atiram com bebés para as mãos... E nós gostamos! Está na nossa natureza, a maternidade!

Quando casamos ou nos juntamos começa a pressão. "Para quando um bebé?". O que muita gente não sabe, ou sabe mas não pensa, é no preço de ter um filho. 

Não foi o meu caso, mas há muitas mulheres cujo sonho de ser mãe lhes corre nas veias! Mas a vida tem esta forma cruel de constantemente nos pôr à prova e frequentemente quem quer mais ter um filho é quem mais dificuldades têm em conseguir! Há mulheres que fazem tudo para poderem realizar o sonho de ser mãe!

Os tratamentos de fertilidade não são de todo fáceis... São fisicamente agressivos e psicologicamente violentos. São medicações com efeitos adversos horríveis e para muitos insuportáveis... São exames e análises constantes, são injeções, são testes negativos atrás de testes negativos! As semanas transformam-se em meses, e os meses em anos, e os anos em frustração e depressões!

Quando estes tratamentos (pelos quais ninguém deveria ter que passar) acabam, a luta continua! Perdas gestacionais, o pânico que algo corra mal, gravidezes instáveis... 
Há gravidezes muito diferentes daquela que tive! Há gravidezes dolorosas, doentias, e assustadoras. Há problemas de peso, descolamentos de placentas, perdas de sangue, ritmos cardíacos de bebés instáveis, há infeções, diabetes, dores ciáticas, dores lombares, dores de cabeça insuportáveis, há perda de liquido amniótico, roturas de bolsas... um sem fim de coisas que correm mal e contra as quais nós mulheres lutamos com unhas e dentes! Um dia, muitas vezes antes do que era suposto, o bebé nasce! Contrações insuportáveis, dores de parto, epidurais pelas costas a dentro, fazer força como nunca sonhámos fazer, pontos e mais pontos, sete camadas de pele cozidas, e horas depois do bebé nascer, a mãe levanta-se e vai dar de mamar! Mamilos feridos, caroços no peito, febre, mastites... Vamos para casa. Toda uma casa para limpar e arrumar, receber visitas, o bebé a chorar, acordar milhões de vezes à noite mesmo só para ver se ele está a respirar. Olhar no espelho e não reconhecer aquela mulher... Um turbilhão de hormonas descontroladas em nós, o corpo que nunca mais será o mesmo, sentirmo-nos tristes, felizes, deprimidas, alegres, sozinhas e completas tudo isto ao mesmo tempo. 

Ser mãe é nunca mais sermos o nº1 em nada!

Quando temos um bebé, podemos entrar numa sala cheia de gente e a maior parte nem repara que nós ali estamos, é dar o ultimo pedaço de chocolate, é fazer primeiro a sopinha dele, e só depois o meu almoço... É prescindir para sempre de pequenos prazeres da vida como um banho demorado, ou um copo de vinho no silêncio de Blues à noite! É trocar o saxofone pelas músicas do panda, é ir comprar roupa e voltar cheia de sacos mas sem nada para nós, e com tudo para eles... Ser mãe, é vê-los crescer, e um dia voarem para as suas vidas sem olhar para trás e deixar-nos de colos vazios! 
O preço de um filho é caro! Muito caro! É mudarmos tudo aquilo que somos... Ter um filho é para muitos, um processo longo, demorado e doloroso... 

E o mais incrível em nós mulheres... É QUE FARÍAMOS TUDO NOVAMENTE! 
Sem pensar duas vezes... Está no nosso ser... a maternidade, o altruísmo!
Ter um filho tem um preço caro, mas que é impagável! É o nosso esforço derradeiro, para termos o melhor que a vida tem para nos dar! 

Para todas as mulheres que têm/tiveram dificuldades em engravidar e/ou gravidezes e partos complicados só vos posso dizer uma coisa: VOCÊS SÃO GRANDES! Do tamanho do mundo!