0

Ideal de mãe

Vivemos numa sociedade que busca e exige em nós a perfeição.  
Como mulheres, temos que estar sempre giras e arranjadas. Como profissionais, sermos sempre capazes de fazer mais e mais. Como mães, capazes de estar sempre presentes na vida dos nossos filhos, de não falharmos nunca. Como donas de casa, capazes de manter a casa em ordem, apesar das crianças que lá habitam e que adoram brincar, ou melhor, adoram ser crianças, e ainda saber cozinhar como um chef. 
Vamos crescemos meninas com o peso da perfeição, de nos transformarmos em mulheres e mães capazes de manter um trabalho, a organização da casa e a educação dos filhos. Sem darmos conta criamos em nós um ideal de mãe, uma mãe perfeita, como a sociedade espera. 
Uma mãe capaz de se multiplicar em esforços para que tudo corra bem. Uma mãe que aguenta estar 10 horas fora de casa, trabalhando, esperando chegar a casa e quando chega ainda passar pela rotina do final do dia com as crianças e ainda preparar o dia seguinte, sempre sorridente e capaz de o fazer com uma ligeireza como se tivesse acabado de dormir 8 horas, sem interrupção. E as manhãs... ai, as manhãs, despachar a criançada, sempre na esperança que comam todo o pequeno almoço, de preferencia sem se sujarem. Passar pela frente do espelho para dar uma cor ao rosto e ficar na esperança que o mais pequeno não amarrote ou suje a nossa roupa. Sair de casa sem atropelos, enfia-los no carro sem birras ou discussões entre a criançada. Chegar ao trabalho, gira, arranjada, bem disposta e fresca para aguentar 8 horas, sem perder o brilho.
Mas quando algo não corre como esperado, quando não conseguimos esse milagre da multiplicação que exigimos de nós próprias? Vem a falha e perante a falha, vem a culpa.  
Mas onde está a MÃE? 
A mãe que às vezes está cansada ou não teve tempo de preparar um jantar de sopa, peixe e fruta e opta por algo rápido porque o filho está com fome e ainda falta o banho? 
A mãe que deixa a roupa por engomar acumular porque os filhos exigem a sua atenção quando estão juntos? 
A mãe que não consegue ir à reunião da escola porque nesse dia o chefe pediu para fazer algo mais? 
A mãe que não usa saltos altos nem maquilhagem? 
Essa MÃE está em todas nós, sem culpa, porque ao contrário do nosso ideal de mãe, nós somos mães e mulheres verdadeiras, com imperfeições e dias menos bons.
Essa MÃE existe em nós, que amamos os nossos filhos e que fazemos o melhor por eles, apesar de as vezes falharmos, na perfeição que exigimos de nós próprias. 

Sejam MÃES, sem culpa e não se deixem pressionar por um ideal de mãe.