0

Recém mamã... tu aí…sim... inspira...respira!

Recém mamã, que começas agora esta nova viagem…tu aí…sim... inspira...respira!! Não és a única que estás a sentir um turbilhão de coisas. Que estás a explodir de amor e felicidade mas que não sabendo o porquê também choras e sentes melancolia. Não te culpes! Afinal acabaste por passar pela experiência mais sobre-humana que existe! Deixaste de ser grávida, para seres mãe! Que sensação nova é essa agora? É avassalador! Essa barrigona desapareceu e tens um ser que depende de ti. Sentes dor e desconforto e as hormonas agora falam mais alto que nunca. Vais dar maminha e tens medo? Dói? Não sabes? Ele adormece?? Caaalma! Vai com calma. Vais descobrir tudo. O teu filho vai-te ensinar... Ouve-o antes de ouvires todas as outras vozes! Estás cheia de medo de errar, de não saberes fazer o melhor e mais certo? Mais cedo ou mais tarde vais perceber que isso não existe, somente a tua forma de seres mãe, à tua maneira, te vai ensinar a seguires o teu instinto. Mas e se esse instinto Ainda não surgiu? Não te culpes! Afinal nem sempre, ou poucas vezes, esse clique dá logo! Esse clique até poderá dar-se sem que te apercebas.
Estás ansiosa para voltar para casa, mas no dia da alta estás com medo? Afinal em casa não vai haver enfermeiras a quem podes pedir auxílio a cada soluço do teu filho. Não, mas terás o teu conforto, o mimo dos teus e a paz da vossa meia lua. Preserva isso! Não te culpes a cada espirro que ele der. Fica atenta mas descansa enquanto ele descansa, ele vai estar ali agora e sempre e precisa de ti forte e segura! Não te deixes abalar por coisas insignificantes, ouvir e ler demais pode fazer-te mal! Que biberon dar, que roupa vestir, que boneco comprar, explora apenas o essencial. As tuas hormonas vão dar mais valor ao que vais ler e ouvir do que ao teu próprio instinto! Ele muitas vezes fica abafado por uma pressão incrível de sermos perfeitas aos olhos dos outros. E até de nós próprias! Não projectes as tuas expectativas naquilo que não estás a ser, pois é porque não o és! És outra coisa, e provavelmente muito melhor! Impõe essa voz que vem de dentro e limita o que te faz sentir mal. Apoio é valioso, carinhos, pessoas queridas presentes. A presença sincera de quem nos ama é mais valiosa do que qualquer conselho. Não tenhas vergonha de pedir ajuda. De que forma for. Todas nós a precisamos. As Super Mulheres não são essas.
Se te apetecer chorar, só porque sim, chora baba e ranho! Liberta isso tudo, vais ver que logo a seguir estás de sorriso de orelha a orelha a admirar o teu filho dormir. O teu filho é a maior benção que tens na vida e também o maior sábio de como seres sua mãe. Afinal de contas, ele conhece-te melhor que ninguém! Gerou-se em ti, nasceu de ti! Ele ouviu-te, ele sentiu-te, sorriu para ti mesmo sem o veres. Deu-te pontapés só para te garantir que estava ali forte e saudável. Agora vai estar mais sossegado, não se vão compreender logo logo. Vão-se conhecendo, vai ser o início de uma descoberta pela vida fora. O abraço dele vai-te apaziguar, o cheiro dele é como uma essência para a alma.


Não vais ser mãe por completo já já!  Devagar. Sem pressões. Vivam a vossa lua de leite com calma e com muito, muito amor!