0

O segundo filho não é o segundo!


Sempre me imaginei mãe de três filhos (podem chamar-me de louca)!
Sempre fui filha única até os meus 11 anos de idade. Minha mãe teve 5 abortos e perdeu 2 filhos ao nascer. De maneira que a ansiedade por ter mais irmãos que não ia tendo tomava o lugar de quando tivesse a minha família, pudesse formar uma família grande!

Hoje em dia sabemos que o querer não é tudo! Como referi deixei de ser filha única tarde, mas deixei! Tive um irmão (rapaz vejam lá, a minha vida é a volta de homens), mas não pude aproveitar como eu queria pois a diferença de idade era grande!
Claro que fiquei feliz  mas uma menina com quase 12 anos, quer é andar aos namoricos e não brincar com bebés. Isso tudo para vos dizer que o meu primeiro filho Afonso não foi planeado, e  o segundo… também não! Mas tenho a certeza que aconteceu na altura certa!
Têm diferenças de 4 anos de idade e não acho muito. Eles brincam juntos, comem juntos, vêem bonecos, fazem companhia um ao outro tal e qual imaginei a minha família quando era miúda.
Acreditem ou não mas a segunda gravidez julgava que iria amar menos este filho do que o meu primeiro. Mas é claramente o contrário! Parece que passamos a ter um DUPLO amor! Um amor muito mais forte, capaz de superar e enfrentar tudo e todos. Um amor inexplicável. E amor eu tenho de sobra para estes três rapazes (o pai também está incluído). O meu segundo filho, não gosto de chamá-lo de segundo, porque apaixonei-me à primeira mal soube que estava grávida. Chama se Pedro é careca, guloso e lindo! A cópia chapadinha do irmão e do pai. Alguém aí sofre do mesmo?! 

Por Maa Feliciano