0

O avô foi ajudar o Jesus


Aos 6 anos já o M tinha assistido à perda de  dois bisavós.
Tinha apenas 2 anos quando o avô Zé partiu.
Acompanhou a sua doença, diariamente, em nossa casa, pois o companheiro de brincadeiras estava então mais sossegado, já não podia sentar-se no chão a montar legos ou correr atrás da bola.
Muitas foram as vezes em que perguntou porquê e fomos dizendo que o avô estava doente e não podia. As brincadeiras enérgicas deram, então, lugar a leituras de histórias e muitos mimos.

No mês em que o avô esteve hospitalizado, muitas foram as vezes em que, em vez de ficar a brincar no parque infantil do IPO, enquanto um de nós fazia companhia ao avô, pedia para também o ver...não mais o viu, aquele não era sítio para um menino tão pequeno e, muito menos, queríamos que guardasse aquele imagem do avô que tanto adorava.

O dia de nos despedirmos do avô chegou e,à pergunta diária 'o avô Zé já está bom?' Não podemos esconder.
Explicámos-lhe que o avô tinha ido para perto do Jesus - aquele Jesus que vê tudo o que fazemos e gosta dos meninos que se portam bem.
As perguntas começaram e, algumas, mantém-se até hoje.
'Porque o avô teve que ir para o Jesus?' - porque o Jesus tem tantos meninos para tomar conta que precisa de ajuda e, como o avô Zé é muito bom o Jesus escolheu-o para ser o seu ajudante.
'Mas eu também preciso do avô'... 'Quando é que ele volta?'... - Quando uma pessoa vai para o céu já não pode voltar, mas pode ver-nos.
'Mas eu tenho muitas saudades do avô Zé' -Ele também tem tuas e está sempre a ver-te, por isso, sempre que pensares nele ele vai ficar contente.

Ao longo dos anos, muitas têm sido as vezes em que o M pergunta pelo avô e diz ter saudades.

Por Carla Monteiro Escada