0

Fortalecimento Natural do Sistema Imunitário dos Bébés e Crianças


Numa altura em que muito se tem falado e escrito sobre imunidade, pensei em escrever sobre formas naturais de fortalecer o sistema imunitário.
Existem por aí crianças que nunca tomaram antibióticos, por nunca ter sido necessário. Ou seja, nunca tiveram infecções bacterianas que justificassem o seu uso. No entanto, o cenário geral é bem diferente. Portugal é dos países europeus onde mais se recorre a antibióticos mas, também, onde a taxa de resistência a estes fármacos é das mais elevadas. Quando os usamos indiscriminadamente, ou seja, para gripes, constipações, otites, mesmo sem ter sido feita uma análise que comprove que a infecção é bacteriana, “matamos”, tal como o nome indica, toda a vida do nosso corpo. Destruímos as bactérias “más” mas também as bactérias que nos protegem e que vivem no intestino, abrindo assim caminho para que as bactérias prejudiciais e fungos tenham a oportunidade de se desenvolver e multiplicar causando fraqueza intestinal, diarreia e debilidade do sistema imunitário. O que vem a seguir é mais do mesmo e andamos em ciclos que vão debilitar muito as crianças.
A questão que se coloca, indo um pouco mais longe, é a seguinte:
Mesmo existindo uma infecção bacteriana, é possível combate-la de uma forma natural?
A resposta é afirmativa, apesar de que a prevenção funciona melhor do que os métodos curativos.
Alguns alimentos que ajudam na cura de infecções, funcionando como antibióticos naturais, são o alho, a equinácea, o limão, a cebola, o gengibre, orégãos (melhor o óleo essencial) e o mel. Estes alimentos estimulam o sistema imunitário a combater as bactérias nocivas, fazendo com que seja o próprio corpo a defender-se, ou seja, nenhuma substância irá fazer o trabalho por ele. Isto, por si só, já é aumentar a imunidade.
Mas, como referi, o melhor é mesmo prevenir, e com crianças isto ainda se torna mais verdade. Podemos ter profissionais de saúde a ajudar-nos mas são os pais que conhecem melhor os filhos e há vários indicadores que nos podem mostrar o estado da saúde das crianças. Por exemplo, já viu o seu filho com olheiras? A queixar-se de cansaço frequentemente? Com dores intestinais? Costuma estar muitas vezes triste e sem energia?
Michio Kushi, um dos precursores da Macrobiótica, no seu livro Natural Healing through Macrobiotics refere que quando as crianças estão saudáveis gozam dos seguintes atributos:
Energia inesgotável, criatividade e entusiasmo.
Coragem e espírito de aventura.
Bom apetite.
Capacidade de fazer amigos facilmente.
Sono profundo e tranquilo.
Boa memória e imaginação.
Liberdade de emoções negativas como raiva, medo e outras.
Resposta alegre ao meio envolvente.


Por esta perspectiva, a saúde das crianças está a ser olhada de uma forma mais holística, isto é, em todas as suas dimensões.
Assim, o que podem fazer os pais para prevenir problemas de saúde das crianças ou, aprofundando ainda mais a questão, o que podem fazer para que as crianças sejam saudáveis num todo?
A minha experiência mostra-me que é possível fazer muito e por isso deixo aqui algumas sugestões que podem ser postas em prática desde a gravidez (sim, porque a saúde das crianças começa antes da concepção, com a qualidade das células reprodutoras e depois na barriga da mãe):

§ Tenha uma alimentação saudável e orgânica na gravidez, que inclua cereais integrais, vegetais frescos, frutos, frutos secos, algas, sementes, leguminosas, etc..
§ Se achar necessário, tome suplementos alimentares naturais (por exemplo espirulina, suplementos de ácidos gordos essenciais).
§ Reduza os níveis de stress durante a gravidez, tenha pensamentos e emoções positivas, relaxe, respire, ouça música calma e comunique com o bebé.
§ Evite ambientes com toxinas na gravidez.
§ Considere a hipótese de ter um parto o mais natural possível, de modo a dar umas boas-vindas tranquilas e harmoniosas ao bebé, num ambiente acolhedor.
§ Peça para que não cortem de imediato o cordão umbilical do bébé após o nascimento pois para além de ajudar na sua adaptação ao novo mundo, permite a transmissão de grandes doses de ferro.
§ Coloque o bebé no peito logo que possível após o nascimento.
§ Mantenha um contacto físico constante com o seu bebé, amamentando-o, acariciando-o, dando-lhe colo.
§ Amamente o seu bebé durante o máximo tempo possível. Isto é a melhor coisa que uma mãe pode fazer para dar imunidade ao seu filho para a vida inteira.
§ Tenha uma alimentação saudável no período de amamentação e reduza os níveis de toxinas a que está exposta.
§ Informe-se sobre os componentes das vacinas, sobretudo no 1º ano de vida do bébé.
§ Evite dar antibióticos ou outros medicamentos químicos ao seu filho, a não ser que estritamente necessário. Questione o médico sobre a necessidade, eficácia em cada doença em particular (para vírus, por exemplo, não têm eficácia) e os efeitos secundários.
§ Se usar antibióticos, suplemente o seu filho com probióticos ou alimentos como miso, kefir e algas, todos óptimos para a flora intestinal (se ele ainda não comer, a mãe deve tomá-los) e tente encontrar e resolver a causa da infecção.
§ Tente dar ao seu filho alimentos integrais, orgânicos e frescos e evite todos os alimentos processados e quimicalizados, incluindo o açúcar, cereais refinados (arroz e massa brancas, papas), lacticínios, sumos comerciais, refrigerantes, produtos animais.
§ Dê ao seu filho vegetais e frutos frescos, mesmo que em sumos ou gelatinas.
§ Se necessário, pode usar suplementos de ácidos gordos essenciais.
§ Preste atenção à saúde emocional e intelectual do seu filho. Ouça-o, comunique com autenticidade e esteja disponível e presente a 100%, mesmo que seja apenas ao fim do dia. Encoraje-o a auto-expressar-se. Dê-lhe massagens regularmente.
§ Deite o seu filho cedo para descanse e durma suficientemente.
§ Estimule o seu filho a fazer exercício físico regularmente.
§ Leve o seu filho para perto da natureza regularmente, especialmente para locais com árvores, montanhas, mar, rios, riachos ou lagos.
§ Faça com que o seu filho beba água suficiente e de boa qualidade – de nascente ou filtrada com um filtro de osmose inversa e carbono.
§ Reduza a exposição a químicos e toxinas ao máximo.
§ Se as alergias forem um problema, tente corrigir a alimentação e procure perceber as razões emocionais para a sua falta de adaptação ao meio.
§ Ajude o seu filho a encontrar o seu talento e quando o encontrar ajude-o a desenvolvê-lo sem preocupações com a sua vida profissional. Vai ver que tudo irá correr bem.
§  Crie um ambiente feliz e harmonioso no lar e na família, fazendo um estilo de vida saudável e procure dar-lhe uma educação académica num local onde isto seja valorizado.
§ Ame verdadeiramente o seu filho e trate-o com respeito. Crescer com amor e respeito permite que as crianças se desenvolvam sentindo segurança, afecto e vínculos fortes e verdadeiros. Mais tarde serão adultos que espalharão esta semente no mundo.

Como vê, temos muito trabalho pela frente! Educar é a maior arte que existe e nós, enquanto pais, temos a responsabilidade de a aprender. 
Mas não se esqueça: as crianças seguem o que somos e o que fazemos, não o que dizemos, daí a importância de sermos o seu exemplo, na saúde e na vida. 

Por Ivone Apolinário